Afinal, atrapalha ou não atrapalha?

Todo o dia como um ritual, assim como escovo dentes e lavo meu rosto pela manhã quando acordo, entro nos sites esportivos, no site do Flamengo, leio os jornais, olho os grupos do Whatsapp e Facebook à procura de notícias sobre o meu time.

É algo normal e sempre me lembro das palavras do meu pai quando estou lendo essas notícias: “Tudo quando se trata de Flamengo é maior”. Realmente, tudo que se trata de Flamengo é maior. A crise é maior, uma atuação razoável vira antológica, um gol comum vira golaço e uma especulação vira notícia.

Desde que a nova diretoria do Flamengo, carinhosamente apelidada por parte da torcida de “Os Carecas”, assumiu, a política de austeridade e responsabilidade é um exemplo.  Tanto é que o clube pagou milhões de dívidas e mudou regulamentos internos para que o Flamengo não seja mais prejudicado por administrações políticas, assim como já aconteceu até pouco tempo.

Mas uma coisa não mudou com a chegada da “nova” safra de dirigentes. E em alguns momentos, essa situação até aumentou. E estou falando das especulações.

Nos últimos meses o Flamengo provavelmente “contratou” mais de dez jogadores de acordo com os grupos de Whatssap, Facebook, sites especializados e blogs. Claro que jornalisticamente, o repórter deve noticiar se há alguma negociação, mas não tratá-la como certa e cravar a chegada de alguém. Robinho, Diego, Felipe Melo, Ganso, Lucas Barrios, Montillo e outros mais foram especulados. Cada dia um novo nome para saciar a sede dos rubro-negros por um reforço.

Mas a pergunta que fica é: a chegada desses atletas (ou esses simples factóides que são criados) ou no caso mais recente de apenas um (Guerrero) atrapalha ou não atrapalha o atual elenco?

Em entrevista coletiva ontem, o zagueiro Wallace disse que não. Discordo do nosso capitão, que atualmente tem se mostrado melhor nas entrevistas do que dentro de campo. Vejo essas especulações e a expectativa por contratações algo terrível para o atual elenco, que em minha opinião, não é tão ruim como se apresenta. Não é um esquadrão galáctico, mas não deveria estar no Z4.

Agora pense bem, você é um jogador do Flamengo e todo dia um atleta é “contratado” para a sua posição. Como seu rendimento seria? Claro que no mundo ideal todos falarão: “será uma forma de incentivo para o elenco e o reforço ajudará quando chegar”.  Mas no futebol onde as vaidades e egos são inflamados, não é bem isso que acontece.

Confira o que o zagueiro Wallace declarou durante a entrevista coletiva de ontem e tire suas próprias conclusões.

-O Guerrero virá e vai nos ajudar para caramba. Segundo ponto: ele não vai resolver sozinho, temos que ajudá-lo a fazer gols. Terceiro ponto: temos que encarar com naturalidade (a cobrança por resultados e contratações). Você está jogando, e o cara que está no banco quer o seu lugar. É uma babaquice alguém se sentir incomodado com a possibilidade de qualificar o grupo.  Se vier para o gol, meio ou defesa… Se for para resolver, ótimo. Se for só mais uma contratação, vou discordar. Se for jogador pontual, será recebido da melhor forma. Temos que jogar melhor. Futebol é que nem matemática: dois mais dois é quatro. Se vencer, aí não vai se falar em contratação, em defesa ou ataque. Nós temos que sentir na pele, e talvez isso sirva de alerta. Não quero dar minha vaga para ninguém. Quando se perde, já ficam pensando em contratação, o que dá impressão de que é falta de qualidade, e isso não é verdade – afirmou o capitão rubro-negro.

Obs 1: Toda contratação é bem vinda, desde que os jogadores que fazem parte do atual elenco, mesmo que tirem a torcida do sério em alguns momentos, sejam respeitados e não tratados como inúteis.

Obs 2: O caso do atacante Alecsandro, que deve sair para o Palmeiras reflete bem o meu pensamento. Com a chegada de Guerrero e a provavelmente sua ida para o banco, Alecgol prefere ir para um clube onde vá ser titular e não mais um.

Obs 3: Além de Guerrero, segundo o site português, A Bola, o meia colombiano Quintero, do Porto, deverá ser mais um reforço. Sim, também estou especulando, afinal, também sou um torcedor.

FOTO: SITE OFICIAL DO FLAMENGO/ Gilvan de Souza