Eu teria um desgosto profundo!

Em meio a uma crise de identidade com um time que nega-se a seguir o lema “Raça, Amor e Paixão”, o Flamengo completa 122 anos. 122 anos de histórias, ídolos, glórias, conquistas, fracassos e momentos de superação. Se mesmo com as comemorações de aniversário abafadas por conta do desempenho em campo abaixo do esperado (graças à expectativa criada e investimentos feitos) e protestos no Centro de Treinamento, fica aqui o meu agradecimento pela sua existência. Pois se tem um lema que a torcida segue e nunca deixou de seguir é: “Eu teria um desgosto profundo, se faltasse o Flamengo no Mundo”. O apoio segue, mesmo que de longe para muitos que não conseguem acompanhar os jogos, seja pela distância ou pelo alto preço dos ingressos.

O amor pelo Flamengo nunca acaba. Estremece às vezes, é verdade, mas volta cada vez mais forte. São 40 milhões, uma Nação, em torno de um só objetivo. E engana-se quem pensa que ele é alcançado com títulos. O rubro-negro de verdade sabe. Ele sabe que uma taça é uma boa recompensa. Mas ver o DNA dele em um atleta é melhor ainda. Ver alguém correr por ele e se entregar por sua paixão é melhor ainda. Isso é que é Flamengo. E é isso que nós queremos. Fica aqui meus parabéns para o clube e para nós, Nação, o seu maior patrimônio ao longo desses 122 anos!

Saudações Rubro-negras!

Abaixo, o texto e vídeo publicados pelo próprio clube para as comemorações do aniversário!

Texto publicado no site oficial do Flamengo!

“Hoje, todas as cores são um par. Um par rubro-negro de um dia colorido 122 vezes pelos seguidores apaixonados.

Hoje, todas as frequências cardíacas estão em 122 bpm. Todos os corações pulsam em vermelho vivo.

Hoje é o dia de celebrar o orgulho de ter um coração rubro-negro, de ter sangue rubro-negro, de ter 122 anos de existência histórica.

Hoje é o dia de reconhecer os irmãos nas ruas apenas ao olhar as listras horizontais do Manto Sagrado e consagrado pelos ídolos.

Hoje é o dia da maior Nação do esporte mundial. E esta Nação percorre 122 anos em apenas 24 horas.

Começa o jogo das nossas vidas: Rondinelli cabeceia, Nunes dribla, Dida mata no peito, Zico cobra a falta e Adílio pega o rebote. Andrade toca para Bebeto, Júnior cruza, Angelim desvia, Pet solta a bomba, Carlinhos orienta, Obina aparece na área e Romário finaliza. Lê arranca, Hernane define. Adriano comemora.

Todos comemoramos, todos nos abraçamos. Todos choramos e vibramos com cada atleta que carrega o escudo rubro-negro no peito. Remamos, acertamos a bola de três na cesta, nadamos, saltamos e sacamos.

O Rubro-Negro nunca está sozinho. Ele está cercado por 40 milhões. 40 milhões de corações vermelhos, pulsando a 122 bpm, 40 milhões exibindo as listras horizontais do Manto Sagrado. Nós somos Flamengo por 24 horas, por 122 anos, por cada segundo de nossa existência. E o Flamengo é formado por cada um de nós. Parabéns, Nação!

Uma vez Flamengo, sempre Flamengo!”