Profissionais descartáveis

Não existe nenhum profissional tão “descartável” quanto o do futebol. É impressionante. Não discuto a falha, e sim o que podemos fazer com elas. Thiago falhou, mas falhou sozinho? Ou será que a pressão que foi colocada em um jovem de 21 anos (tanto da imprensa quanto da torcida) também foi determinante?

E que fique aqui o registro, essa é uma característica forte do torcedor brasileiro. Que ao invés de apoiar, pensa sempre em criticar. Não estou “pedindo” para fechar os olhos para as falhas dos atletas, mas não ser tão simplista ao se pensar que tudo muda com uma simples substituição.

Imagina só: toda vez que alguém falhar no seu trabalho ou em seus relacionamentos, ser colocado de lado (ser substituído). Então, é assim que acontece no futebol. E eu espero que não seja assim com ele, que mostrou potencial, mas encarava a primeira decisão como profissional.

Ele falhou, mas será que falhou sozinho? (Foto: Vinnicius Silva/Estadão Conteúdo)

Mas se a gente for seguir a lógica da imprensa, da torcida e das redes sociais, precisaremos de 25 goleiros por elenco e uns 200 jogadores de linha. Amigão, deixa eu te contar uma coisa: o futebol não é como no seu videogame. Não dá pra sacar todo mundo que errar. E agora? Volta o Muralha, odiado por 99% da torcida, porém mais experiente? Ou deixa o jovem, que fazia boa partida até sua falha, e que admitiu o erro, primeiro passo para voltar a acertar?

É uma resposta que, de fora, longe do dia a dia do Flamengo, é impossível de se dizer! Só quem está nos treinamentos poderá explicar o que Rueda fará. Mas acredito que o mais certo para o momento é focar em um atleta e treiná-lo nos próximos 20 dias, quando acontece a próxima final. O Brasileirão é importante, mas Diego Alves pode esperar mais. Thiago (que ainda é o meu preferido) ou Muralha? Sei que eles precisam jogar. E claro, treinar mais forte do que nunca! E em uma decisão, pelo menos a torcida do Rubro-negro terá que apoiar o atleta escolhido.

E mais, precisam jogar sem a pressão de que, se errar, serão trocados sempre (e crucificados) como simples peças de um jogo. Como disse, não discuto a falha e nem isento. Não, eles não são descartáveis. E pode crer, no futebol, as histórias de superação sempre se mostraram presente. E você poderá ter que exaltar aquele que está execrando.