Sensação no Brasil, Stephen Cury não para de fazer história na NBA

O basquete sempre foi uma paixão do brasileiro, isso ninguém nega. Mas nos últimos anos a NBA, a maior liga do esporte no mundo, investiu pesado em terras tupiniquins, e viu neste mercado, uma ótima oportunidade. E por que este texto começa com este relato aparentemente “bobo”, sendo que o título fala de Stephen Cury, armador do atual campeão Golden State Warriors?  A resposta é simples, aqui no Brasil, poucas vezes se falou tanto de um jogador de basquete.

Sim, quando digo “poucas vezes”, me refiro à mitos do esporte como Kobe Bryant, LeBron James, Shaquille o’neal (para ficar nos mais recentes, sem falar é claro no maior de todos os tempos, Michael Jordan). Desde que a NBA entrou de vez nas casas brasileiras, é difícil ver tamanha admiração por um jogador (e por que não dizer por seu time, que joga por música, um basquete que para muitos, reinventa mais uma vez o antigo “bola ao cesto”).

Claro que o aumento no número de transmissões na TV por assinatura e a força que o NBA League Pass (o pay-per-view da liga – que permite assistir todos os jogos do extenso campeonato) traz maior exposição para às últimas temporadas, ainda mais quando um time “não conhecido”, como o da cidade de Oakland fatura o título da temporada 2014-2015, desbancando nada mais, nada menos que o time de LeBron, e em 2016, segue “assombrando” o basquete, com um jogo de transição rápida, bolas de três, muita raça (esse quesito é de Draymond Green), e claro, a habilidade e “molecagem” de Steph Cury, com seus crossovers desconcertantes, além de sua jogada característica, deixar bolas de três.

O “BRASILEIRO”CURY

Talvez a “idolatria” à Cury no Brasil se explique principalmente pela sua maneira de jogar, o que é meio óbvio (Mas fará mais sentido com a explicação). Rápido, habilidoso, inteligente e ousado (sem nenhuma piada quanto a Neymar), Steph marcou em sua última partida, realizada em Washington contra os Wizards, 51 pontos. Ele ficou a apenas três de igualar sua maior marca de pontos na carreira. E além disso, mais uma bola de três pontos faria ele quebrar mais um recorde, o de maior número de acertos deste arremesso em um só jogo, 12 (ele acertou 11 de 16 contra os Wizards de Nenê e Wall). O GSW bateu os Wizards por 134 a 121 na última quarta-feira (3).

Seu estilo de jogo que, em certos momentos aparenta “indiferença” e tranquilidade acima do normal (fruto ao meu ver de muito treino e confiança), definitivamente chama atenção por aqui. Até pelo seu estilo, que não é polêmico (pelo menos não ao ponto das notícias chegarem até aqui).

Lembrando que para alguns especialistas em basquete, apesar de ser um talento desde mais jovem, Cury, que tem 27 anos, “estourou” tarde, já que está na NBA desde 2009, mas possui boas médias desde então.

NÚMEROS DE CURY NA NBA (2015/2016)

– 29.8 pontos; 5.3 rebotes; 6.4 assistências; 2.2 roubadas de bola (média)

– Média de pontos de Cury deste que chegou à liga, em 2009 – contando sua média atual, com a temporada em andamento: cerca de 22 pontos.

ATÉ ONDE O GSW VAI?

A resposta é: “não sei”. E explico o porquê. O Golden State Warriors pode até não levar o bicampeonato da NBA, o que eu acho improvável, já que até para Gregg Popovich, o sisudo técnico do San Antonio Spurs, outro dos favoritos, “eles têm jogado um basquete de alto nível”, e na vitória diante de seus comandados, Popovich disse: “parecia um jogo de homens contra meninos”. Vale Ressaltar que o próprio treinador da equipe texana há algum tempo deu uma entrevista dizendo que o que o GSW fazia “não era basquete”, se referindo ao excessivo número de tentativas de bolas de três pontos.

Mas mesmo que não leve, eles já fizeram história pela inovação. E marcaram sua época. O time que tem Steph Cury, Klay Thompson, Draymond Green, Barnes, Andre Iguodala, Leandrinho entre outros, já é um dos grandes do esporte, e quer ainda mais, seguindo em busca do recorde do Chicago Bulls de Michael Jordan da temporada 1995/1996, que venceu 72 jogos. Atualmente, o GSW tem 45 vitórias e apenas quatro derrotas.

Fotos: Reprodução Facebook Golden State Warriors